Cimento feito com caroço de azeitona é criado por estudantes brasileiros e espanhóis

NOTICIA_CAROÇO_17NOV

O material consegue ser suficientemente resistente para ser usado pela construção civil.

Um cimento fabricado com as cinzas do caroço de azeitona e dos resíduos liberados nos alto-fornos. É isso que propõem alunos brasileiros da Universidade Estadual Paulista (UNESP) em parceria com os espanhóis da Universidade Politécnica de Valência (UPV).

Para a sua fabricação, o processo consiste em pegar os resíduos da combustão dos caroços de azeitona e dos fornos e moê-los para depois adicionar água. Nos testes realizados até agora, o cimento continha aproximadamente 20% de cinzas de azeitona e 80% de outros resíduos. Imagine o sucesso que poderia fazer com as sobras das pizzarias de São Paulo, por exemplo. Os testes também mostraram que o desempenho mecânico foi bom muito bom e que o material consegue ser suficientemente resistente para ser usado comercialmente pela construção civil.

“Este novo cimento se destaca especialmente por sua baixa pegada de carbono; seu impacto, em termos de efeito de estufa, é muito menor em relação aos cimentos atualmente utilizados. Além disso, este trabalho abre um novo caminho de negócios para o uso e recuperação de energia de uma biomassa, como é o caso dos caroços de azeitona, bem como os resíduos dos altos-fornos” afirma Jordi Payá, pesquisador do Instituto de Ciências e Tecnologia de Concreto (ICITECH) da UPV.

O desenvolvimento – em escala de laboratório – deste novo produto é o último resultado do trabalho realizado há quase 10 anos pelo grupo de pesquisa em Química de Materiais de Construção da ICITECH-UPV.

Fonte: Ciclo Vivo 

Avatar de voccie
Por voccie