Pesquisador cria miniestação de tratamento que produz água limpa, energia e adubo

NOTICIA_TRATAMENTO_AGUA_8NOV

Máquina poderá ser a solução para comunidades que vivem sem saneamento básico.

Uma mini estação de tratamento de água desenvolvida por pesquisadores da Flórida (EUA) pode ser a solução para comunidades que vivem sem saneamento básico. Ela cumpre diversas funções e, por isso, será levada para atender regiões do sul da África. Daniel Yeh, professor de engenharia civil e ambiental da Faculdade de Engenharia da Universidade do Sul da Flórida, é o principal pesquisador envolvido na construção da máquina Newgenerator. Por meio dela, será possível tratar águas residuais de dejetos humanos, produzir água limpa, energia e fertilizante.

A estação será usada em conjunto com os chamados Community Ablution Blocks (CABs), que atualmente são formados por contêineres que alojam banheiros, lavatórios e chuveiros. Os CABs são instalados em regiões onde os moradores não têm encanamento e/ou sanitários em suas casas e o Newgenerator promete ser uma ferramenta complementar, uma vez que os recursos serão melhor aproveitados. Semelhante a uma estação de tratamento de águas residuais, a máquina fará o tratamento biológico anaeróbio. Neste processo, a matéria orgânica será transformada em biogás, uma fonte de energia que fará a Newgenerator gerar energia. A ideia ainda é que o biogás seja usado em conjunto com painéis solares acoplados na máquina. Para eliminar as impurezas das águas cinzas e negras, o líquido passará por processos de desinfecção em vários estágios. Mas, basicamente, um filtro de membrana microscópica vai capturar bactérias e vírus para depois a água ser desinfectada com cloro. A água reciclada então poderá ser usada para descarga de sanitários nos CABs, reduzindo drasticamente o consumo deste bem tão escasso, especialmente em períodos de seca. A água também poderá ser usada para irrigação. Assim como os fertilizantes,  também captados na estação de tratamento. Eles serão usados nos jardins comunitários que os moradores já cultivam normalmente. A ideia é incentivar o espaço verde urbano, além de ser uma fonte de alimento.

Para este projeto, a faculdade recebeu uma doação de mais de um milhão de dólares da Fundação Bill & Melinda Gates, considerada a maior fundação de caridade do mundo. O projeto já foi implantado na Índia em 2016, atendendo 100 usuários por dia. A meta para Durban é mais ambiciosa: atender 1000 pessoas diariamente. Os testes estão previstos para começarem no início de 2018.

Fonte: Ciclo Vivo

Avatar de voccie
Por voccie